RELOOKING

[MODA][grids]

DIVAN

[DIVAN][bsummary]

MYSTIQUE

[MYSTIQUE][bleft]

BEAUTÉ

[MAKE UP][twocolumns]

Déjà Vu

Dia 13. DIVIDIR TAREFAS!


O Sr. &  Sra. placa - foto de acervo royalty-free

Dia 13. Decimo Terceiro Dia: Chegou a hora de dividir tarefas.
Bem, se você deu uma olhada no nosso plano 15 de organização, já deve ter feito a sua lista básica de tarefas do seu dia-a-dia. 
Quando fiz a minha, e mentalmente listei ao lado de cada uma das tarefas a pessoa designada a execução delas, descobri que continha em 99% dos casos a palavra: EU. 

Hello! Então comecei a me questionar quanto a divisão correta e, digamos, sensata de nossa rotina. Tudo bem que hoje não exerço nenhuma tarefa externa (remunerada), mas e quantas de nós, mesmo tendo uma rotina de trabalho remunerada diária e contribuindo financeiramente com as despesas do lar, ainda precisa  cuidar da organização e limpeza da casa, filhos, compras, etc...Ufa! Haja pique garota!
Talvez esteja na hora de dividir estas funções, mesmo porque, homens são tão necessários e importantes na rotina da casa quanto nós. E, se queremos fazer da educação de nossos filhos um aprendizado, melhor mostrar a eles que os homens são sim responsáveis também por toda divisão de tarefas. E que tal incluí-los nesta divisão também? Seus filhos já podem ser responsáveis pela arrumação do quarto, colocar a roupa na área de serviço, arrumar e recolher a mesa, etc. Envolva-os!
E, se você precisa de mais dados concretos para convencer-se disto e a seus pares, aí vão:
Os números indicam que é preciso mesmo avançar nesta questão: dados do IBGE mostram que as mulheres dedicam mais que o dobro de tempo do que os homens às tarefas domésticas: são 25,3 horas semanais para elas contra 10,9 horas para eles – que mantêm essa mesma média há 10 anos, apesar de terem reduzido a carga horária na jornada de trabalho fora de casa neste período.
Mudam os lares e as condições financeiras, mas a divisão do trabalho doméstico acaba sobrecarregando as mulheres em todos os níveis — diz a psicóloga Fabiana Verza, doutora em Psicologia Social pela PUCRS e terapeuta de família e casal, destacando que, mesmo quando a mulher não se ocupa tanto com o lar, é comum que outra, familiar ou contratada, assuma o cuidado da casa e das crianças no lugar do companheiro.
À medida que as questões de gênero se popularizam e as famílias se diversificam, aumenta a consciência de que a casa também é responsabilidade dos dois – e o desafio passa a ser transformar a teoria em prática. Para a relações-públicas Fernanda Luna Telichewsky, 34 anos, e o marido Edgar Telichewsky, o acordo 50-50% já é realidade. Os dois compartilhavam as responsabilidades da casa desde antes do nascimento de Davi, um ano e oito meses.
— Não existe para a gente uma delimitação de tarefas entre homem e mulher — conta Fernanda. — Quando um ou outro não pode estar em casa é complicado, porque nós realmente somos uma equipe.
Um estímulo extra para dividir as tarefas: estudos da Universidade de Alberta (Canadá) e da Universidade Estadual da Geórgia e da Cornell University (EUA) apontam que os casais que compartilham o serviço doméstico transam com mais frequência e estão mais satisfeitos com a qualidade do sexo.
Veja também


Nenhum comentário: