RELOOKING

[MODA][grids]

DIVAN

[PAPO CABEÇA][bsummary]

MYSTIQUE

[MYSTIQUE][bleft]

BEAUTÉ

[MAKE UP][twocolumns]

Déjà Vu

RETOME O CONTROLE: SEJA DE LUA








“Mulher é bicho esquisito, todo mês sangra... Um sexto sentido maior que a razão.” (Rita Lee)

Entrar nos mistérios da Lua (carta 18 do tarot) é como fazer um mergulho no nosso mais arraigado feminino. É uma apnéia ao fundo do mar, onde não existe barulho, luz, movimentos bruscos. Aprendemos nesse mergulho a entrar em contato com nossa psique profunda. Nadar em suas águas nos remete ao útero, ao alinhamento com os ciclos da terra e do mar, aos movimentos de nutrição e destruição. Nos recorda quem realmente somos, nossa ancestralidade, nosso sexto sentido.

Desde sempre soubemos da relação das nossas emoções e dos nossos ciclos menstruais com os ciclos da Lua. Quando éramos mais conectadas aos ciclos terrenos (estações) e iluminação natural do sol e lua, as mulheres inclusive menstruavam nos mesmos períodos: as regras vinham na lua nova e ovulávamos na lua cheia. Sabemos disso graças a nossos antepassados.




As mulheres do passado sabiam da importância deste acompanhamento para a vida prática. Sabiam dos partos pela lua. Os melhores momentos para plantar e colher. O que poderia vingar ou morrer conforme a lua. Estas não são crendices. São conhecimentos que a ciência moderna valida. 

“A lua interfere diretamente em tudo que vive na terra. Sem a Lua não haveria maré, e sem maré o ritmo do vento seria diferente, assim toda a vida manifesta biologicamente na terra seria drasticamente afetada. A lua, porém, não tem ação somente sobre a macro-maré (oceano), mas também nas micro-marés, chamados de fluxos capilares. A capilaridade é um princípio físico. É o mecanismo que faz com que a seiva de um vegetal flua para cima. Se não houvesse o efeito da Lua, o mecanismo de capilaridade, de fluxo de seiva, seria totalmente diferente e com certeza o mundo vegetal seria diferente, composto por outro tipo de flora; consequentemente tudo aquilo que depende das formas vegetais conhecidas seriam influenciadas.” - José Laércio do Egito, A Lua e a Menstruação 

Como as fases da lua atuam sobre a seiva das plantas. Imagem: Jardineiro.net


Hoje, afastadas da terra e da natureza, sabemos deste conhecimento ancestral e científico. Mas perdemos a sua sabedoria, o conhecimento em ação. E, com ele, o re-conhecimento sobre nós mesmas, da nossa ‘lunaridade’, do controle sobre o nosso corpo e emoções e do melhor uso de cada momento da nossa vida. 

Que tal resgatar esse saber? Que tal voltar a ser uma mulher de fases?




Para voltar a ser ‘de fases’, precisamos nos reconectar com as fases da lua. Mas como fazer isso nesses tempos modernos em que nem sequer temos tempo para olhar para o céu?

Aqui vai uma proposta que, sendo de um caráter mais mental, pode parecer estranha à primeira vista. Mas que promete ser um verdadeiro religare com o nosso mundo emocional e uma excelente forma de visualização criativa: a Mandala Lunar. 


Modelo de mandala lunar, preenchida com informações

A contagem do ciclo possibilita comparar a duração dos ciclos, fazer uma recapitulação de tudo o que vivemos, afinar a nossa memória e atenção e ganhar mais consciência do momento que estamos vivendo. Para além disso, observar os diagramas já preenchidos nos faz ver nossa vida com distanciamento, enxergar o todo.” - mandalalunar.com.br 

A Mandala Lunar nada mais é do que um diagrama que serve para acompanharmos visualmente os nossos ciclos pessoais (emoções e sensações) com os ciclos lunares. O objetivo é desenvolver, através da observação e do uso de cores, textos e símbolos, o olhar intuitivo sobre nós a partir da perspectiva lunar.

Não se trata apenas de anotar a fase da lua com as eventuais menstruações (ou ausências delas), como muitas fazem. Mas acompanhar as suas emoções e regras com as fases da lua. Voltar a enxergar a si e à natureza como uma coisa só. Como você está em cada fase da lua? Nova, crescente, cheia, minguante. Como fica o seu humor, sua energia, sua libido, seu ritmo, sua disposição em cada fase da lua?





Usar a Mandala Lunar é, na verdade, um ‘exercício’ que visa ressincronizar nossos ritmos aos ritmos da lua através do autocuidado e da auto-observação. Pela minha prática com o Tarô como ferramenta visual, só de voltar a olhar para o ciclo lunar e ao mesmo tempo para a sua vida, você se reconectará com seus ciclos e com as suas emoções. Esta é a proposta!

Minha aposta é que voltaremos a perceber, com o tempo e desenvolvimento deste ‘olhar intuitivo’, o quanto somos parte da natureza. O quanto somos todas cíclicas, mutáveis, inconstantes. Esse olhar vai forçar, com o tempo, que o nosso ciclo lunar pessoal e cósmico se correspondam. Isso não será uma coincidência. Será um realinhamento natural. E este alinhamento nos dará mais controle, mais poder sobre nós mesmas.

Fazendo a sua Mandala Lunar




Na internet, você poderá encontrar vários desses diagramas. Os que trago aqui abaixo são do site mandalalunar.com.br. Neste endereço, aliás, você pode comprar também as agendas lindíssimas criadas pelas três meninas responsáveis por este projeto voltado ao feminino: Ieve Holthausen, Naíla Andrade e Victoria Campello, de Porto Alegre.


Para fazer a sua Mandala Lunar, primeiramente BAIXE e IMPRIMA AS SUAS MANDALAS LUNARES:

JULHO: https://www.mandalalunar.com.br/wp-content/uploads/2017/10/7a_lunacao.pdf

AGOSTO: https://www.mandalalunar.com.br/wp-content/uploads/2017/10/8a_lunacao.pdf

SETEMBRO: https://www.mandalalunar.com.br/wp-content/uploads/2017/10/9a_lunacao.pdf

OUTUBRO: https://www.mandalalunar.com.br/wp-content/uploads/2017/10/10a_lunacao.pdf

NOVEMBRO: https://www.mandalalunar.com.br/wp-content/uploads/2017/10/11a_lunacao.pdf

DEZEMBRO: https://www.mandalalunar.com.br/wp-content/uploads/2017/10/12a_lunacao.pdf


Junto a cada mandala, haverá um ‘manual de uso’. Nele são dadas dicas de como fazer suas mandalas através de cores, símbolos, anotações e mesmo da contagem do seu ciclo menstrual (bem ao centro). São dicas, não normas. 

Você pode usar a sua mandala lunar como quiser, na verdade. Até mesmo se nem menstruar mais ou fizer uso de DIU ou anticoncepcionais. A ideia, mais uma vez, não se trata de acompanhar ciclo menstrual x ciclo lunar. Mas as nossas fases emocionais com as fases lunares.

Eu, pessoalmente, gosto da ideia de usar cores que estão ligadas aos chakras para retratar os estados emocionais/espirituais do dia, como no exemplo abaixo.




Gosto do resultado, de ver o colorido conforme os ciclos da lua e as minhas sensações. Mas é você quem deve sentir como deve ser a sua. Talvez você prefira anotar o que acontece, fazer meio que um diário. A mandala/cabeça é sua!

No próximo post, vou trazer um resumo de como aproveitar o PODER DE CADA FASE DA LUA. Preparada?



_________

ROSANE KURZHALS
Taróloga há mais de 10 anos e mantenedora do blog do www.rosanetarot.com.br. Terapeuta Floral e de Telas Mentais e formanda em PredictionX: Diviner's Guide (Harvard University)

2 comentários:

  1. Adorei as mandalas! Vou anotar meus estados de humor, percepções, coisas a que sou grata e as que me fizeram pensar, conforme forem ocorrendo durante o dia. O interessante é que depois de algum tempo, podemos verificar se temos padrões de comportamento e/ou emocionais, para o nosso autoconhecimento.

    ResponderExcluir
  2. Exato!! Essa é a ideia. Conhecimento é poder e autoconhecimento é autoempoderamento. Vai fundo!!

    ResponderExcluir