RELOOKING

[MODA][grids]

DIVAN

[PAPO CABEÇA][bsummary]

MYSTIQUE

[MYSTIQUE][bleft]

BEAUTÉ

[MAKE UP][twocolumns]

Déjà Vu

O QUE É MODA SLOW?

the_slow_fashion_movement_notjustalabel_696125638_0
Foto: notjustalabel

BONJOUR MADAME!
MOVIMENTO SLOW FASHION 


Há muito tempo quero escrever sobre este assunto, porque somos +40 e ando pensando muito sobre isso, sobre como tornar a minha imagem o mais confortável possível, não só para mim, mas também para o outro. Quero que as pessoas olhem pra mim e sintam, na totalidade, aquilo que eu quero transmitir, minha personalidade & estilo, mas com consciência e reflexão sobre o que realmente sou e de que maneira lido com este universo da moda.

E tudo começou com o blog. Há alguns anos vinha me sentindo "presa" a um padrão que eu mesmo havia me imposto e que hoje sei, não tem muito haver com a minha personalidade. E quando você se faz este tipo de questionamento, sem dúvida alguma, cai num "mar" de dúvidas e águas bem arriscadas.
E depois de uma conversa com amigas em um jantar e um "empurrão" para começar um curso de corte costura, confesso que mudei totalmente a minha perspectiva.
Comecei a enxergar este movimento slow com maior seriedade, a estudar mais sobre moda - que sempre amei - e entender que eu precisava de bem menos para me sentir feliz. E que, principalmente, poderia sim fazer muitas coisas sozinha! 

Resultado de imagem para gif de pessoas costurando
Isso mesmo, comecei a colocar a mão na massa, ou melhor, na máquina de costura!

O curso foi libertador! Sempre tive jeito para a coisa, já que minha mãe foi costureira durante anos - normal da região que nasci - sul do país, Blumenau. Comecei a resgatar todas as lembranças da minha infância e juventude trabalhando com a minha mãe no seu simples ateliê, do qual saíram muitas peças lindas, inclusive meu vestido de noiva.

E aquilo tudo veio como uma grande avalanche...e comecei primeiro a reformar tudo que eu via pela frente em casa! Roupas que estavam lá, deixadas de lado, porque desde que voltamos de São Paulo eu havia emagrecido 9 quilos e o marido 16...Muita coisa não servia mais...Não para nós, mas para um corpo mais magro...
Arregacei as mangas e foram, no mínimo, 20 peças de roupas reformadas e que hoje estão em pleno uso. E fora a felicidade que é você produzir algo com suas próprias mãos...
Passei a enxergar o mundo da moda de maneira bem diferente, sei como é produzida uma peça e tenho mais compreensão do custo x benefício que "comprar bem" me trás.


A moda slow incentiva que possamos reconhecer, de vez, que os impactos de nossas escolhas (de consumo, principalmente) afetam o ambiente e as pessoas. Assim como as decisões dos produtores, designers, fabricantes e varejistas, todos interligados ao sistema ambiental e social, em que podem escolher gerar impactos positivos.


Menos consumo: questiona a ênfase do fast fashion na imagem e no novo, no lugar da manutenção das roupas que já temos. Sugere então uma ruptura com esses valores e objetivos que são baseados apenas no crescimento. Incentiva um modo de pensar, agir e consumir com os clássicos “qualidade sobre quantidade” e “menos é mais” – além de resgatar o valor das roupas removendo a imagem da moda como algo descartável e o consumo como uma fonte (infinita e impossível) de superação de frustrações.

Resultado de imagem para gif de roupas

E pensando nisso, eu venho fazendo algumas buscas online tanto de referências, quanto de peças em lojas, e percebi que montar um guarda-roupa super legal e de acordo com o que eu quero demanda tempo e paciência. Principalmente porque eu tenho um orçamento em mente pra isso, ou seja, tenho que fazer tudo isso gastando pouco. E, quando se fala em compras, é bem fácil a gente perder a mão, né? 
Mas dá sim para você tem um armário com peças básicas e de excelente qualidade, assim como peças complementares, também necessárias. 

As dicas aí de baixo podem ajudar com isso:

Conhece-te a ti mesmo
Conhecer o seu próprio estilo e as suas necessidades é essencial para saber o que buscar na hora de ir para um shopping (tanto off quanto online). Tire algum tempo para pensar no que você gosta, no que você quer usar e em como a sua rotina funciona, o que ela pede no que diz respeito a roupas e sapatos.

Resultado de imagem para gif de pessoa se olhando no espelho


Pense em peças atemporais

É muito fácil a gente cair num lugar de querer comprar aquela calça pantacourt maravilhosa e do momento, mas perceber depois de um tempo que aquilo não tem muito a ver com o nosso estilo. Se você quiser mesmo montar um guarda-roupa que traduza o seu estilo pessoal, então vale mais a pena apostar em peças que sejam atemporais, clássicas. Não entenda clássicas como caretas, mas apenas como peças coringa que serão a base do seu estilo.

Resultado de imagem para gif de roupas


Qualidade ao invés de quantidade

Se você trabalha com um orçamento fechado, então sabe que não dá para comprar roupas o tempo todo. Sendo assim, de nada adianta você comprar 30 blusinhas, sendo que elas são de baixa qualidade e não vão durar nem um mês inteiro. Às vezes vale muito mais comprar uma blusa só, mais cara, mas que vai durar muito mais tempo.
the_slow_fashion_movement_notjustalabel_645489269Algodão Orgânico

Rentabilidade

O preço das roupas reflete seu custo real. Os preços são muitas vezes maiores porque eles incorporam recursos sustentáveis e salários justos. Mas é só pensar no número de vezes que iremos usar essas roupas e nos seus incomparáveis caimento e qualidade que vemos que o investimento vale muito a pena!


Não queria tudo de uma vez

Tem horas que rola mesmo aquela vontade de jogar o guarda-roupa inteiro no lixo e começar do zero. Oui, Oui...eu já senti isto inúmeras vezes! 

Resultado de imagem para gif de pessoas comprando

Porém, se você quer montar um closet legal, saiba que isso vai levar um tempo. Às vezes você consegue investir em mais peças, outras vezes em menos. É um processo! A minha dica é começar pelas peças mais ‘urgentes’ e básicas, aquelas que você precisa agora-já-imediatamente, e depois ir complementando com o que falta.


Praticar a consciência: Isso significa tomar decisões baseadas em paixões pessoais, personalidade e estilo próprios. Uma consciência da conexão com os outros e com o meio ambiente e a vontade de agir de forma responsável. Dentro do movimento slow, muitas pessoas amam o que fazem e aspiram fazer a diferença no mundo de uma forma criativa e inovadora, não importando o tamanho de seu alcance. O que tem mesmo significado é o impacto positivo em si mesmo e refletido ao seu redor.


O mais importante de tudo isso, é prestar muita atenção no que você sente na hora de comprar uma roupa. Sabe aquilo que eu falei sobre como me senti ao arrumar minhas próprias roupas? Então. Se tiver que comprar alguma coisa, faça numa sensação legal, não se deixe levar pela frustração de não encontrar uma ‘peça perfeita’ ou por não poder gastar tanto quanto queria.
Pense em casa peça como um carinho que você faz pra si mesma e o resto se ajeita!

Resultado de imagem para gif de roupas

Veja no link abaixo, as grifes brasileiras que investem no SLOW FASHION!


Vamos conversar mais sobre este assunto! Porque além de atual, ele é importante para todos nós que amamos moda, mas queremos deixar um "legado" positivo.
 Cabeça aberta e +40 Madame!
Além de ter em mente que construir uma sociedade mais justa e humanizada é função de todos nós. 
Isso é possível! Veremos isto nas próximas postagens...

E você? Já pensou sobre este movimento? Quer saber mais?



Nenhum comentário: